Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “CO1012 – Hiperuricemia e gota

  1. qual o valor de referencia do ac. úrico? E qual a conduta nutricional para gota e hiperuricemia?

    • Olá Jessica,

      Ácido úrico (soro)

      REFERÊNCIA

      Homens : 3,6 a 7,7 mg/dL
      Mulheres: 2,5 a 6,8 mg/dL

      ácido úrico (urina 24 horas)

      REFERÊNCIA
      0,25 a 0,75 g/24h

      Sangue

      Níveis altos de ácido úrico no sangue (hiperuricemia) podem ser causados por produção excessiva de ácido úrico ou por eliminação deficiente. Causas de produção excessiva incluem câncer metastático, mieloma múltiplo, leucemias, linfomas, anemias hemolíticas, policitemia, quimioterapia, radioterapia, alguns medicamentos, dieta rica em proteínas e alguns distúrbios hereditários. Diminuição da excreção ocorre com doenças renais, acidose, toxemia da gravidez, alcoolismo e com o uso de alguns medicamentos, em especial diuréticos.

      O aumento da concentração de ácido úrico no sangue está relacionado com a formação de cristais em articulações (gota) ou nos rins (nefropatia úrica).

      Urina

      Níveis altos de ácido úrico na urina são observados com gota, mieloma múltiplo, leucemias, linfomas e dieta rica em purinas, e estão associados a um risco de formação de cálculos renais.
      Níveis baixos são vistos com doenças renais e alcoolismo crônico.

      Papel da dieta na hiperuricemia e na gota

      A ingestão dietética de purinas pode contribuir substancialmente para os níveis de ácido úrico do sangue. Em um indivíduo sadio, a instituição de uma dieta isenta de purinas por alguns dias pode reduzir os níveis de ácido úrico no sangue na média de 4,95 mg/dl (297 µmol/l) para 2,95 mg/dl (178 µmol/l).

      A hiperuricemia e a gota, geralmente, estão associadas com obesidade, hipertensão, dislipidemia, aterosclerose e intolerância à glicose (síndrome metabólica).
      Atender um paciente com gota representa oportunidade para uma avaliação metabólica mais extensa e uma orientação dietética mais abrangente. A orientação deve contemplar mudanças de hábitos de vida e informações precisas sobre dieta e consumo de bebidas alcoólicas.

      A orientação dietética deve ter como prioridades o controle do peso corporal, da pressão arterial sistêmica e das eventuais alterações metabólicas
      presentes, como a intolerância à glicose e a dislipidemia.

      Quanto à hiperuricemia propriamente dita, sugere-se enfatizar a necessidade de se restringir alimentos ricos em purinas de origem animal (carnes, miúdos, embutidos e frutos do mar). Alimentos ricos em purinas de origem vegetal não precisam nem devem ser evitados e o consumo de laticínios com baixo teor de gordura pode ser estimulado.

      É importante “negociar” com o paciente que faz uso de bebida alcoólica quanto ao momento de consumi-la, a quantidade e o tipo de bebida. Fazer uso de bebidas alcoólicas durante ou logo após um episódio agudo pode prolongá-lo ou reduzir o intervalo de recidiva.

      Informações adicionais você encontra acessando o link abaixo:
      http://srvd.grupoa.com.br/uploads/imagensExtra/legado/W/WELLS_Barbara_G/Manual_Farmacoterapia_9ed/Lib/Amostra.pdf

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta