Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “PC1014 – Suporte Nutricional para Mãe de Bebê com APLV

  1. quais as formulas infantis mais indicadas qdo é necessário complementar o leite materno????

    • Olá,

      É necessário complementar quando a criança está irritada, não está conseguindo mamar o suficente no peito, deixando a mãe preocupada (neste caso, a produção do leite materno pode até diminuir pelo estresse materno), quando a mãe está com mastite e não está conseguindo amamentar. Mas, é necessário ressaltar que o complemento deve ser dado no copinho para que a criança não desista do peito, e por um tempo determinado.
      Veja esses artigos:
      http://www.ibfan.org.br/documentos/outras/nov%202004%20giugliane.pdf
      http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2017/03/Revista-Sade_frmulas-infantis_dra.-Jocemara.pdf
      http://www.scielo.br/pdf/jped/v79n4/v79n4a04
      https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26181720

      Existem várias fórmulas no mercado que serão indicadas conforme a fase em que a criança está. Não há indicação exata, pois dependerá das particularidades de cada criança. As mais usualmente utilizadas são Aptamil, Nan e Ninho Fases.
      Existes crianças que se adaptam a determinado tipo e outras não. Outras questão que devem ser levadas em consideração é se a criança tem refluxo, alergias, constipação intestinal, dentre outros. Por isso, é uma questão de avaliar e se necessário trocar a fórmula.

      Abaixo seguem algumas explicações:

      FÓRMULAS INFANTIS DE PARTIDA
      É o produto, em forma líquida ou pó utilizado sob prescrição, especialmente fabricado para satisfazer, por si só, as necessidades nutricionais dos lactentes sadios durante os primeiros meses de vida.

      FÓRMULAS INFANTIS DE SEGUIMENTO
      São produtos destinados a lactentes sadios a partir do sexto mês de vida até doze meses de idade incompletos.

      As fórmulas de partida e de seguimento são preparadas pela diluição do leite de vaca desnatado, para diminuir o alto conteúdo proteico, ajustando a quantidade de minerais e adicionando óleos vegetais e carboidratos.

      FÓRMULAS INFANTIS DESTINADAS A NECESSIDADES DIETOTERÁPICAS ESPECÍFICAS
      São as fórmulas destinadas a atender, quando necessário, as necessidades nutricionais de lactentes decorrentes de alterações fisiológicas e/ou doenças temporárias ou permanentes e/ou para redução de risco de alergias em indivíduos predispostos.

      FÓRMULAS ANTI-REGURGITAMENTO
      O refluxo gastroesofágico é o fluxo retrógrado e repetido de conteúdo gástrico para o esôfago, frequente em crianças, na maioria das vezes de evolução benigna e caracterizado pela presença de regurgitações.

      Inicialmente o tratamento deve ser realizado sem medicamentos, pois a maioria das crianças tende a melhorar espontaneamente, sendo recomendado apenas o decúbito dorsal ou lateral e adequação da dieta. As fórmulas para esses casos usualmente incluem o amido em sua composição, o que proporciona maior espessamento quando em contato com o suco gástrico e, consequentemente, menor risco de regurgitação.

      Há predomínio de caseína devido ao seu efeito tampão sobre a acidez gástrica. O conteúdo de lipídios é menor, para assim aumentar o esvaziamento gástrico.

      FÓRMULAS PARA PREMATUROS
      Os prematuros apresentam uma deficiência relativa de lactase e por essa razão, o carboidrato das fórmulas é uma mistura de lactose e polímeros de glicose. Estes polímeros permitem um rápido esvaziamento gástrico, diminuindo a estase gástrica, e o risco de enterocolite necrotizante, pois possuem uma carga osmótica mais baixa.
      Os prematuros apresentam uma limitada capacidade de digestão e absorção de gorduras, o que se deve à baixa atividade da lípase pancreática e principalmente, a uma deficiência de sais biliares, levando a formação inadequada de micelas com reduzida solubilização de triglicérides da dieta. Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) são melhores absorvidos, possivelmente porque sua digestão e absorção não dependem da concentração luminal dos sais biliares, penetrando diretamente na circulação portal.
      Os aminoácidos taurina, histidina, tirosina e cistina também devem ser considerados essenciais aos recém-nascidos prematuros, além dos aminoácidos considerados essenciais ao ser humano. A capacidade do prematuro em sintetizar a carnitina é menor, sendo necessária sua suplementação nas fórmulas. Deve haver uma maior concentração de cálcio e fósforo para a mineralização óssea.

      FÓRMULAS DERIVADAS DA SOJA
      São indicadas em casos de deficiência primária de lactase, galactosemia, alergia a proteína do leite de vaca, além de lactentes de famílias vegetarianas em que não se deseja o consumo de proteína animal.
      A alergia alimentar é resultante de uma resposta imune exarcebada devido a exposição de um individuo às proteínas alimentares .
      Apresentam composição semelhante às demais fórmulas, exceto pelo carboidrato e proteína. São compostas de proteína de soja refinada e aquecida para melhorar a digestibilidade proteica e a biodisponibilidade mineral. O zinco, magnésio, ferro e cobre apresentam uma absorção menor que a do leite materno e o de fórmulas com leite de vaca, possivelmente relacionado à presença de fitatos.

      FÓRMULAS SEM LACTOSE
      A lactose é o principal carboidrato do leite e requer a enzima lactase para ser decomposto em galactose e glicose. Nesses leites, geralmente há a substituição da lactose por hidrato de carbono, geralmente dextrinomaltose. São fórmulas indicadas para lactentes afetados por má absorção de lactose, desnutrição grave, deficiência primária de lactase, lesão da mucosa intestinal na diarréia persistente ou crônica, levando a deficiência secundária de lactase.

      HIDROLISADOS PROTEICOS
      São fórmulas nutricionalmente completas, semi-elementares, hipoalergênicas, nas quais a proteína se encontra hidrolisada em pequenos peptídeos e aminoácidos livres. Atualmente, estão disponíveis no mercado nacional hidrolisados de caseína, de proteínas do soro do leite e de proteínas da soja e colágeno.
      Na dependência do fabricante, fornecem de 68 a 75 kcal e de 1,9 a 2,5 g de proteína em cada 100 mL. São adicionadas de vitaminas, minerais e elementos–traço. Suas fontes de gordura são mistura de óleos vegetais e TCM, nunca em concentrações maiores de 50% para garantir a oferta de ácidos graxos essenciais. As fontes de carboidratos são a dextrino-maltose e o amido.
      Estão indicados nos casos de alergia simultânea à proteína do leite de vaca e da soja, nas condições clínicas associadas as síndromes disarbsortivas graves, na presença de hipoalbuminemia, na transição de nutrição parenteral total para nutrição enteral e na realimentação de pacientes críticos por promoverem uma diminuição do gasto energético com o processo digestivo-absortivo.

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta