Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “PC1003 – Distensão Abdominal e FODMAPs

  1. Boa noite!
    Fiquei com uma dúvida, um paciente que relata diarréia e distensão abdominal, com todos os sintomas característicos de intolerância a alimentos com alto teor de FOODMAPS pode usar o fiber (goma acácia)?

  2. Gostaria de saber o seguinte: Se uma pessoa após a retirada de alguns alimentos com alto FODMAPS, sentir melhora a resposta ao tratamento e caso começar a utilizar as ezimas, no caso sugerido no estudo de caso pela dra Ana Paula, como o enzyfor e tiver remissão dos sintomas, qual relação pode haver? ou com o uso do lactobacillus Acidhophilus, que causa bastante flatulência.

    • Olá Camila,

      A pessoa pode ter intolerância a algum FODMAP. Quando retirou o alimento causador, ela teve melhora dos sintomas. Os probióticos auxiliam no tratamento.

      Logo será lançado o curso Síndrome do Intestino Irritável (SII) e FODMAPs. A Profa Ana Paula discorre sobre vários tópicos relacionados a dieta FODMAP e a SII. Esse curso poderá ajudar você a entender melhor essa relação.

      O objetivo da dieta Low FODMAP é descobrir quais alimentos desencadeiam os problemas digestivos e criar uma dieta que oferte todos os nutrientes, mas inclua apenas os FODMAPs que o paciente tolera.

      Att,
      Gabriela

  3. Quando a paciente já vem diagnosticada com Síndrome do intestino irritável já deve-se iniciar com o protocolo de tirar os fodmaps por 2 a 8 semanas?

    • Olá Isadora,

      Uma dieta “low-FODMAP” pode ajudar.

      Evitar FODMAPs não ajuda a todos. Mas, em um estudo publicado na revista Gastroenterology , cerca de 3 de 4 pessoas com IBS tiveram seus sintomas aliviados imediatamente após iniciar uma dieta com baixas concentrações de FODMAP e sentiram mais alívio após 7 dias ou mais após seguir o plano alimentar.

      Att,
      Gabriela

  4. Na tabela de FODMAPS, é listado o chá de funcho e chá de camomila como tipos de alimentos principais de FODMAPS e eles são usados nas receitas de chás digestivos prescritos. Tem alguma relação em poder consumir na forma de chá ? Fiquei com essa dúvida.

    • Olá Camila,

      Desculpa a demora em responder sua questão.
      Segue resposta:

      Se a pessoa tiver intolerência a esse tipo de FODMAPs não seria indicado esses chás, por conter oligossacarideos e frutanos. Neste caso, a indiacação seria chá de hortelã.
      Entretanto, se a pessoa não possui intolerância a esses FODMAPs, e sim algum problema de má digestão, chás, como, por exemplo, de funcho, seria indicado.

      Att,
      Gabriela

  5. Durante o período em que esta sendo realizado a dieta de eliminação, pode haver a necessidade de repor a vitamina c? E se esse paciente já vier com diagnóstico de deficiência de vitamina C, qual prescrição pode ser realizado? Obrigada!

    • Olá Camila,
      Sim.

      A análise de deficiências nutricionais é feita através da anamnese alimentar e dos exames bioquímicos. Pode ocorrer de ter outras deficências nutricionais que devem ser tratadas.

      No caso de deficiência de vitamina C, a prescrição deve ser feita dividida em 3 tomadas.

      Segue exemplo de prescrição:

      Vitamina C revestida – 200 mg

      Aviar X doses em cápsulas* qsp.

      Posologia:
      Consumir 1 dose, 3 x ao dia, pela manhã, à tarde e à noite.
      *Cápsulas transparentes, isentas de açúcar, corantes, edulcorantes artificiais e lactose.

      A capacidade que o intestino tem em absorver o ácido ascórbico é de aproximadamente 1200mg/24h.
      As doses administradas de ácido ascórbico que excedem a concentração máxima absorvida pelos tecidos são eliminadas pelos rins.

      O ácido ascórbico distribui-se amplamente em todos os tecidos do organismo. Alguns tecidos, como a glândula suprarrenal, a hipófise e a retina são ricos em ácido ascórbico (1 a 2 mg/g); outros, como o fígado, os pulmões, o pâncreas e os leucócitos têm teores médios (0,1 a 1mg/g); os rins, os músculos e os eritrócitos têm pequenos teores de ácido ascórbico.

      Att,
      Gabriela

  6. Olá! No caso de intolerância ou má absorção à frutose, posso utilizar ou associar ao tratamento nutricional a tabela de foodmaps para reduzir a distensão abdominal e desconfortos intestinais?

  7. Para o paciente que não tem como monitorar a temperatura do chá, qual a melhor forma de fazê-lo sem perder a funcionalidade? Quanto tempo após as refeições, imediatamente? Pode ser consumido após quanto tempo após pronto (2h, 12h, 24h…)? Excelente aula.

    • Olá,

      O ideal seria consumir de 5 a 10 minutos após o preparo do chá. Mas, quando não for possível o chá pode ser consumido até 24 horas após preparo.

      Quanto ao preparo, cada tipo tem suas especificações:

      Chá verde

      Os dados obtidos em pesquisas científicas indicam que:
      1 – para total proveito das suas propriedades antioxidantes, o chá verde brasileiro deve ter um tempo de infusão de no mínimo cinco minutos, sob agitação leve e a granel;
      2 – o acondicionamento em sachês reduz a extração dos compostos bioativos do chá;
      3 – verifica-se maior eficiência na extração dos bioativos do chá quando maiores volumes da bebida foram preparados, observando-se a mesma razão erva:água;
      4 – a bebida preparada mostrou-se estável durante armazenamento em temperatura am­biente ou em geladeira, por um período de 24 horas. Recomenda-se, portanto, preparar o chá, mantê-lo em geladeira ou em temperatura ambiente e consumir ao longo do dia.

      Preparo para flores e folhas:
      Ingredientes:
      1 litro de água
      1 a 2 colheres de sopa de erva.
      Modo de preparo:
      Quando levantar fervura, desligue o fogo. Acrescente a água quente sobre 1 a 2 colheres de sopa de erva. Deixe abafar por 5 a 10 minutos e está pronto!

      Preparo de raízes e caules:

      Ingredientes:
      1 litro de água
      1 a 2 colheres de sopa da raiz ou do caule
      Modo de preparo:
      Ferver a água por 10 a 20 minutos juntamente com a raiz ou caule que você escolher.

      Armazenamento dos chás
      No máximo por 24 horas, em geladeira ou garrafa térmica (que não seja de plástico ou alumínio).

      Att,
      Gabriela

  8. O teste de intolerância alimentar pode identificar esse tipo de sensibilidade ao food maps?

    • Olá Nathalia,

      A intolerância à FOODMAPS é observada através da dieta de eliminação.

      Dieta de eliminação:
      Pretende-se que o paciente suspenda o(s) alimento(s) suspeitos durante cerca de 2-6 semanas. A dieta deve ser cuidadosamente monitorizada e os resultados avaliados, de forma a estabelecer o diagnóstico. Assim, evita-se que sejam excluídos alimentos desnecessários da dieta. Se os sintomas apresentados pelo paciente não melhorarem com a eliminação de certos alimentos é muito pouco provável que se trate de uma intolerância.
      As intolerâncias alimentares (IA) também se podem dever a defeitos enzimáticos. O exemplo mais comum deste mecanismo é a intolerância à lactose, mas a frutose, os frutanos, galactanos e poliois podem também ser responsáveis por IA.

      Att,
      Gabriela

  9. Aula excelente! Muito enriquecedora!

Deixe uma resposta