Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “CO2010 – Características e Evolução da Doença

  1. Na aula foi citado o VLDL, pacientes que apresentam VLDL muito baixo ou alto, oque nos diz?

    • Olá Lusiana,

      A dosagem da lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL) pode ser descrita como parte do perfil lipídico, um grupo de testes solicitados com frequência para determinar o risco de doença coronariana e como parte importante da avaliação do risco cardíaco.

      Acredita-se que níveis aumentados de VLDL reflitam a presença de partículas denominadas remanescentes de lipoproteínas que são intermediárias na via de conversão de VLDL a LDL. Quando há níveis elevados de LDL presentes, a conversão de VLDL a LDL é retardada e o acúmulo de partículas intermediárias parece contribuir para o desenvolvimento de aterosclerose e de doença arterial coronariana.

      Níveis aumentados de colesterol VLDL (>30 mg/dL ou >0,77 mmol/L), assim como níveis elevados de colesterol LDL, são considerados fatores de risco para doença cardíaca. O aumento na VLDL, além do aumento da LDL, pode influenciar na escolha do tratamento para reduzir o colesterol.

      Como o aumento dos triglicérídes e do colesterol VLDL estão frequentemente associados a quadros clínicos como diabetes, alcoolismo, sobrepeso e obesidade, é possível reduzi-los com alterações no estilo de vida e com o uso de medicamentos para reduzir os triglicérídes e o colesterol.

      Níveis baixos de colesterol LDL em geral não são preocupantes.
      Considerando a relação entre VLDL e triglicerídeos, é possível reduzir o colesterol VLDL tomando medidas para reduzir os triglicerídeos. Estas incluem alterações no estilo de vida favoráveis à saúde, como redução de peso em excesso e prática regular de exercícios físicos.

      Att,
      Gabriela

  2. Então.. quais seriam as vatagens de solicitar exame TGO e TGP pelo nutricionista?

    • Olá Lusiana,

      Os exames de TGO e TGP têm como utilidade o diagnóstico diferencial de doenças do sistema hepatobiliar e do pâncreas (TGO e TGP).
      Geralmente os pacientes chegam ao consultório com a esteatose hepática já diagnosticada pelo médico. Nestes casos, os exames poderão ser solicitados com objetivo de acompanhamento do paciente. Para os pacientes que não fazem exames há mais de 12 meses a sugestão é solicitar e se houver alteração encaminhar para o médico.

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta