Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

4 comentários em “CO2009 – Mindful Eating

  1. Gabriela, parabéns pela dúvida tirada, estou radiante com o seu comentário, não é simplesmente um comentário e sim, o comentário. Completo! Muito obrigada pela atenção.

  2. De que forma aplicar o comer consciente, ou seja, em qual momento? Se o aconselhável é não prescrever dietas, como trabalhar com as metas? Pois, a maioria dos pacientes já chegam querendo dieta e se prendem muito a isso, como introduzir essas metas, dar sequencia? Obrigada.

    • Olá Paloma,

      A sugestão é conversar com os pacientes e dar desafios com metas simples de ser alcançadas, mas que farão a diferença na hora de aderir a dieta.
      Por exemplo:
      Aumentar o consumo de água (a meta é começar tomando 500ml de água e ir evoluindo até chegar a 2 litros em 30 dias);
      Aumentar o consumo de verduras. Exemplo: se a pessoa não come nenhum tipo de verdura, pedir para que ela coma 2 x na semana e ir evoluindo);
      Prestar mais atenção na mastigação;
      Você saberá as metas que poderão ser sugeridas para cada paciente depois de fazer as anamneses e conhecer melhor a história de seu paciente.
      A dieta poderá ser feita, mas sabemos, que na maioria das vezes, não há adesão. Desta forma, a sugestão é trabalhar com as metas conforme a dieta feita. Outra sugestão é ir fazendo educação nutricional e trabalhar com a mudança do comportamento.

      Assim como o peso e a imagem corporal também influenciam, pois a insatisfação com o próprio corpo pode motivar as restrições alimentares.

      Preferências alimentares podem ser construídas de acordo com a sociedade, cultura, crenças e religião de cada povo, sendo assim para um melhor entendimento do comportamento alimentar dos indivíduos é necessário conhecer um pouco e considerar os diferentes usos e costumes socioculturais.

      O comportamento alimentar é um conjunto de ações relacionadas ao alimento, que envolve desde a escolha até a ingestão, bem como tudo a que ele se relaciona. Já o hábito alimentar é a resposta do indivíduo frente ao alimento ficando caracterizado pela repetição desse ato.

      Fica evidente que, o comportamento alimentar promove o hábito alimentar. Por se tratar de conceitos tão interligados e complementares, o entendimento dos dois significados e de suas diferenças é fundamental para o sucesso em todos os tipos de tratamentos, intervenções e ações preventivas relacionadas aos indivíduos (pacientes).

      Mudar atitudes é uma tarefa bastante difícil e complexa, pois envolve além de muito estudo e pesquisa, a própria formação do profissional. Estratégias diferenciadas são necessárias para que isso ocorra efetivamente. É neste aspecto que se evidencia a necessidade de uma intervenção, não só no aspecto prático do que comer ou como comer, mas na questão cultural e até educacional.

      Você saberá como fazer. Ouvir o paciente é muito importante para podermos ter uma conduta legal para cada caso ;).

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta