Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

10 comentários em “CO1027 – Aula extra: Inflamação no Hipotálamo

  1. Parabéns pelo curso!

  2. Olá, algumas perguntas referentes ao curso:
    1) Há referências mostrando a perda de massa magra em humanos com dieta cetogênica?
    2) Avaliação da composição física por Ultrassom – pontos positivos e negativos. É um método validado? Nos dá a informação de gordura visceral?
    3) Gordura visceral em BIA pode ser alterada por stress/cortisol/bebida alcoolica, correto? A gordura visceral de BIAs é validado? O pré preparo do exame pode amenizar o “erro” de estimativa de gordura visceral e/ou apenas de gordura subcutânea?
    4) O Homa Beta individualmente é fidedigno para avaliar a produção real de insulina ou ele pode ser super ou subestimado?
    5) Há estudos em humanos com relação a inflamação do hipotálamo? Ou apenas em ratos?

    • Olá Barbara,
      Segue respostas:

      1) Há referências mostrando a perda de massa magra em humanos com dieta cetogênica?
      Segundo metanalise abaixo, a dieta cetogênica pode ser efetiva na redução da gordura corporal sem causar perda excessiva de massa muscular.
      Veja:
      https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25402637

      2) Avaliação da composição física por Ultrassom – pontos positivos e negativos. É um método validado? Nos dá a informação de gordura visceral?
      Na técnica de ultrassom, ondas sonoras de alta frequência são emitidas de uma fonte de ultrassons que penetram a superfície da pele e passam pelo tecido
      adiposo, até alcançarem o tecido muscular. Na interface do tecido adiposomuscular, uma proporção das ondas de som são refletidas como ecos que são
      recebidas pelo aparelho de ultrassom.
      A técnica de ultrassom pode ser também utilizada para medir a espessura do tecido muscular bem como a gordura subcutânea. Em geral, os estudos sobre
      a validade deste método sugerem que este fornece uma estimativa razoável da espessura do tecido adiposo, nos seres humanos.

      A densitometria radiológica de dupla energia (DEXA, do inglês dual-energy X-ray) é considerado um dos métodos padrão-ouro nos estudos de validação para mensurar massa gorda.

      No passado, uma das limitações da composição corporal da DXA era a dificuldade em discriminar entre o tecido adiposo visceral e o tecido adiposo subcutâneo. A maioria das versões mais recentes do software de digitalização DXA permite uma segmentação seletiva de gordura androide em visceral e subcutânea. Assim, esse método agora pode ser usado, para além de verificar os valores de massa gorda e massa magra, identificar o paciente com maior risco de doença cardiometabólica e para escolher a intervenção terapêutica adequada.

      Outro método é a tomografia computadorizada (TC), também considerado padrão-ouro para a detecção de gordura visceral.

      3) Gordura visceral em BIA pode ser alterada por stress/cortisol/bebida alcoolica, correto? A gordura visceral de BIAs é validado? O pré preparo do exame pode amenizar o “erro” de estimativa de gordura visceral e/ou apenas de gordura subcutânea?
      A estimativa de massa magra e gorduras corporal na Impedância bioelétrica ou Bioimpedância (BIA) é feito da seguinte forma:
      O corpo humano a um circuito elétrico composto por uma resistência (água e massa livre de gordura) em série com um condensador (membranas celulares e gordura). Os fluidos intra e extracelulares comportam-se como condutores, enquanto as membranas celulares (formadas por duplo estrato lipídico não-condutor intercalado entre duas capas moleculares de material proteico condutor) atuam como elementos capacitantes ou condensadores. Dessa forma, com informações a respeito da BIA ou de algum de seus parâmetros pode-se estimar a quantidade de água corporal, e, admitindo valores constantes, a proporção de massa livre de gordura e gordura corporal.
      Com a BIA, a membrana celular e o tecido adiposo apresentam alta impedância (medida da capacidade de resposta de um circuito elétrico percorrido por uma corrente alternada) com corrente elétrica. Os eletrólitos dissolvidos na água do tecido corporal magro proporcionam boa condutividade.
      Da água corporal total, a massa gorda corporal pode ser estimada. Depois de ser considerados a idade, a altura e o peso, a água corporal é estimada. A massa corporal magra é proporcional à água corporal total. A estimativa é baseada em uma relação constante de 72,3% de água em massa livre de gordura (MLG).
      Quando a MLG é subtraída do peso, a massa de gordura corporal é calculada. A massa gorda corporal é normalmente calculada com uma equação de análise de regressão diretamente do índice de impedância.

      Desta forma, o método não separa gordura subcutânea de gordura visceral.
      Em relação à BIA, é um método que está se popularizando, sendo citado frequentemente como método confiável para a estimativa de gordura corporal. Contudo, poucos são os estudos publicados que aplicaram a BIA para indicação da adiposidade visceral.

      4) O Homa Beta individualmente é fidedigno para avaliar a produção real de insulina ou ele pode ser super ou subestimado?
      O que acontece é que o cálculo de Homa só é aplicável para índices de insulina iguais ou maiores de 2,9. Abaixo deste valor a probabilidade de haver resistência à insulina é remota visto que na RI há hiperinsulinemia.
      Critérios para diagnóstico de RI
      Modelo 1:
      Utiliza índice de massa corporal (IMC) e/ou HOMA-IR:
      a) IMC ˃28,9kg/m2;
      OU
      b) HOMA –IR ˃4,65;
      OU
      c) IMC ˃ 27,5Kg/m2 e HOMA –IR ˃3,6
      O critério do modelo 1 têm sensibilidade de 84,9% e especicidade de 78,7%.

      5) Há estudos em humanos com relação a inflamação do hipotálamo? Ou apenas em ratos?
      Em ratos. As pesquisas são recentes.

      Att,
      Gabriela

  3. Excelente curso!!! Fiquei com uma dúvida, em relação a duração do armazenamento dos chás hipoglicemiante e de canela, quanto tempo eles duram e podem ser consumidos?

  4. Quando o treino é as 7:30.. Fazer a refeição completa antes do treino (como se já fosse o café da manhã) e um lanche de pós-treino ou o inverso? Nesse caso, o que poderia utilizar de carboidrato antes e logo após o treino?

    • Oi Diandra,

      Antes do treino a sugestão é a utilização de carboidratos de rápida absorção.
      Depois do treino a sugestão é a utilização de carboidratos de médio e baixo índice glicêmico.

      Se o praticante de atividade física for bem nutrido, o treino não imporá nenhuma demanda especial de qualquer nutriente. Os estoques corporais de carboidratos e gorduras satisfazem as exigências de energia da maior parte das atividades com duração inferior a uma hora.

      Para emagrecimento
      Pré-treino (1h à 1h30 min antes do treino)
      CHO + PTN
      Pós-treino
      PTN (ex: ovo, peixe, frango, suplementos)

      Sugestão pós-treino (0 a 15min ou 1h depois):

      Café da manhã: vitaminas de frutas, sanduíche de atum ou de frango desfiado, pão com ovo mexido, panquecas, crepioca
      Almoço: refeição completa
      Lanche da tarde: vitaminas, sanduíches, bolos proteicos (doces ou salgados)
      Jantar: salada, peixe, peito de frango

      Att,
      Gabriela

  5. Posso associar palatinose + whey para pré-treino?

    • Olá Diandra,

      Sim.

      Palatinose é carboidrato de baixo índice glicêmico que proporciona energia de forma prolongada, ideal para treinos mais longos, como ciclismo, corrida, crossfit e outros treinos que demandam mais tempo.

      Att,
      Gabriela

  6. No pré-treino para musculação, sendo o treino bem cedo da manhã, tendo, as vezes, o tempo de 30 min – 1 h para se alimentar , posso associar whey + fruta no pré- treino? A aveia é uma opção,? Com quanto tempo posso fazer refeições pré-treino contendo aveia?

    • Oi Diandra,

      Sim.

      Pré-treino de 1h ou 30 min antes do treino:

      Carboidratos de rápida absorção.

      Exemplos:

      Banana com aveia e Whey Protein (pode-se fazer uma vitamina).
      Mamão com aveia e canela;
      Suco de uva + beterraba;
      Vitaminas com Whey;
      Iogurte com frutas (exemplos de frutas: maçã, morango).

      Exemplos de receitas de vitaminas:
      Vitamina de mamão
      INGREDIENTES:
      2 colheres de sopa de mamão
      1 colher de chá de chia
      1 banana congelada
      1 pote de iogurte natural desnatado
      2 colheres de sopa de leite em pó desnatado ou Leite de coco ou whey protein
      2 colheres de chá de açúcar mascavo
      MODO DE PREPARO
      Bater todos os ingredientes no liquidificador.

      Vitamina de abacate

      INGREDIENTES:
      1 colher de sopa de abacate
      1 banana congelada
      1 pote de iogurte natural desnatado
      2 colheres de sopa de leite em pó desnatado ou Whey Protein
      1 colher de sobremesa de flocos de aveia
      1 colher de sopa de cacau em pó
      MODO DE PREPARO
      Bater todos os ingredientes no liquidificador.

      Vitamina de banana com polpa de morango
      INGREDIENTES
      2 bananas (outras opções de fruta: pera e maçã cozida ou mamão)
      1 polpa de morango
      1 colher (sopa) de aveia em flocos
      1 e 1/2 xícara (chá) de água
      MODO DE PREPARO
      Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva.

      Omelete simples com atum

      INGREDIENTES
      2 ovos
      2 colheres de sopa de atum ao óleo
      1 colher de sopa de cenoura ralada
      Pimentão picado (opcional)
      Temperinhos a gosto, sal e uma pitada de curry
      MODO DE PREPARO
      Bata o ovo com o garfo. Misturar a cenoura e o pimentão e levar para frigideira untada (com azeite de oliva) e com tampa por 3 minutos cada lado. Rechear com atum.

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta