Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “CO1025 – Qualidade dos carboidratos

  1. Boa Noite,

    Gostaria de algumas informações sobre plano alimentar para gestantes.

    Todos os adoçantes devem ser excluídos?
    Existe alguma fruta que deve ser retirada da dieta?
    Para as gestantes com constipação é possível manipular lactobacilos? Alguma sugestão de formulação de lactobacilos para essa situação?
    Além de ácido fólico, é preciso suplementar mais alguma coisa?

    Agradeço desde já!

    • Olá Letícia,

      Todos os adoçantes devem ser excluídos?

      Não são indicados os adoçantes artificiais como aspartame, sucralose.
      Se houver necessidade pode-se utilizar os adoçantes de fontes naturais, como estévia ou taumatina.

      Existe alguma fruta que deve ser retirada da dieta?
      Não, somente se a pessoas apresentar alergias alimentares.

      Para as gestantes com constipação é possível manipular lactobacilos? Alguma sugestão de formulação de lactobacilos para essa situação?
      Sim.
      Segue exemplo:
      Probioticoterapia:
      Componentes da fórmula:
      Lactobacillus gasseri – 2 bilhões
      Lactobacillus rhamnosus – 2 bilhões
      Lactobacillus infantis – 1 bilhão
      Bifidobacterium bifidum – 1 bilhão
      Bifidobacterium longum – 1 bilhão

      Aviar X doses em cápsula transparente sem lactose e gastrorresistente.

      Posologia:
      Consumir uma dose ao dia, de manhã em jejum.

      Tomar por 30 dias.

      Além de ácido fólico, é preciso suplementar mais alguma coisa?

      Sim. Polivitamínicos conforme trimestre gestacional, além de ômega-3 (com boas quantidades de DHA).

      Att,
      Gabriela

  2. Paciente vegetariano, como não estourar na quantidade de carboidrato, vamos precisar utilizar também proteína de origem vegetal?

    • Olá Danielle,
      Sim.
      A substituição da carne pode ser feita pelo grupo dos feijões.
      Os maiores equívocos de uma dieta vegetariana está no excesso de comida processada (são muitas opções vegetarianas que incluem trigo e açúcar) e o tamanho das porções.
      Geralmente, uma adptação na dieta, com alimentos naturais (legumes, frutas, verduras), adequação dos macronutrientes, já resultará em diminuição da massa adiposa.
      Se necessário, sim, sugere-se utilizar proteína de origem vegetal, como os Wheys vegetais.

      Att,
      Gabriela

      • Olá. Gabriela. Estou fazendo isso, utilizei grupo dos feijões, cogumelos, ovos, queijos brancos e iogurte desnatado. Mesmo assim a % de carboidrato ficou em 50% e 15% de proteína. Gostaria de sugestão de um plano alimentar, para saber aonde estou fazendo errado

        • Olá Danielle,

          Segue sugestão:

          Distribuição proteica em 4 refeições
          Exemplo:
          Café da manhã = Whey vegano + açaí polpa de fruta congelada
          Almoço
          Salada verde à vontade
          100g de Tofú grelhado no azeite de oliva = 8g de PTN + 50g de lentilha = 3g de PTN + Arroz negro + abobrinha refogada
          Lanche da tarde = Mix de castanhas + amendoas + nozes
          Jantar = Creme de feijão branco com quinoa e brócolis + salada verde ou proteína de soja com feijão azuqui.

          Att,
          Gabriela

  3. Reformulando a pergunta anterior. Reduzir carboidratos e aumentar gorduras como azeite e castanha, para tratar esteatose grave e hepatite A e B, é uma estratégia adequada?

    • Olá Patricia,
      Se o paciente está com esteatorreia a ênfase se dá nos triglicerídeos de cadeia média.
      Para tratamento da Esteatose Hepática vários estudos têm demonstrado que o consumo de dietas pobres em carboidratos refinados pode ajudar a reverter DHGNA. Estas dietas incluem a estratégia low carb e dieta do mediterrâneo, além de carboidratos de baixo índice glicêmico, sendo a combinação low carb + mediterrânea demonstra ter melhores resultados.

      Att,
      Gabriela

  4. Paciente com esteatose grave e hepatite A e B, posso diminuir a quantidade de carboidratos na dieta e gorduras “boas” como azeite de oliva, castanhas para auxiliar no tratamento, mesmo o paciente apresentando esteatorreia?

    • Olá Patricia,

      Irá depender do estado nutricional deste paciente, entretanto a qualidade de carboidratos deve ser revista sim.
      Se ocorre esteatorreia a absorção intestinal está prejudicada. Normalmente de 90 a 98% da gordura ingerida é absorvida; mas, na esteatorreia, a percentagem restante nas fezes pode aumentar até 20% ou mais.
      Para poder auxiliar precisaria saber de toda a história clínica e nutricional do paciente.
      A esteatorreia pode estar relacionada com Pancreatopatias, além de outras possibilidades.
      A sugestão é trabalhar com triglicerídieos de cadeia média, que é absorvido sem micelas. Deve-se, também, atentar-se para as vitaminas lipossolúveis, A,D, E, K, além de B12, zinco, magnésio e cálcio.
      Na vigência de diarreia, esteatorreia e hiperproliferação bacteriana podem ocorrer perdas de cobre, magnésio, zinco, fósforo e cálcio e, na esteatorreia, também, má absorção de vitaminas lipossolúveis.

      A probioticoterapia é outra sugestão. O efeito benéfico dos probióticos está, possivelmente, relacionado à redução de proliferação de bactérias patogênicas, tornando o ambiente intestinal menos antigênico, levando à diminuição das citocinas pró-inflamatórias, incremento de citocinas anti-inflamatórias, normalização da permeabilidade intestinal e modulação da resposta imune do epitélio intestinal.

      Lipídeos – Dieta pobre em gorduras irá diminuir a esteatorreia e melhorar a absorção de nutrientes, os triglicerídios de cadeia média são indicados nestes casos.Dieta hipolipídica em função da má absorção de gorduras. Quando esteatorreia, máximo 40g/dia de lipídeos, com ênfase em TCM.

      Ácidos graxos ômega 3

      Esse ácido graxo essencial possui um efeito imunomodulador potente que parece ser mediado pela sua atuação na síntese de eicosanoides e
      por um efeito inibitório eicosanoide-independente da citocina pró-inflamatória interleucina 1 (IL-1). Desta maneira, tem sido proposto que
      o uso desse ácido graxo suplementar pode ser benéfico.

      Cálcio e vitamina D – A vitamina D é solúvel em gordura e necessitará ser resposta, pois o cálcio é dependente da vitamina D, que no caso das esteatorreia se perderá na fezes. A reposição de cálcio e vitamina D junto com albumina, para melhorar a absorção de nutrientes, pode reverter os achados de deficiência de cálcio.

      Magnésio – a reposição de magnésio via oral (óxido de magnésio ou hidróxido de magnésio) encontrado na composição da maioria dos antiácidos, pode piorar a diarreia e a síndrome de má-absorção.

      Att,
      Gabriela

  5. Com relação a bebida lacte de soja (extrato de soja) industrializado é viável acrescentar no plano alimentar? E com o plano low carb moderado caso paciente refira fome antes de dormir o que fazer?

    • Olá Denize,

      Deve-se atentar-se no rótulo destes produtos e analisar se há muitos aditivos químicos.

      Nestes casos, onde a paciente refere ter fome, pode-se incluir uma ceia (uma fruta, como, por exemplo, kiwi), ou mesmo rever o jantar. Incluir um chá de melissa ou camomila antes de dormir. Pode-se fazer adaptações na dieta conforme avaliação da paciente.

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta