Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “CO1012 – Leucócitos

  1. ola. ate mesmo na leucemia, teremos os leucocitos aumentados?

    • Olá,

      Sim.

      Leucemia é um agrupamento de doenças diferentes entre si.
      Existem as leucemias agudas e as leucemias crônicas.

      Leucemias agudas:
      – Leucemia mieloblástica aguda – LMA
      – Leucemia linfoblástica aguda – LLA

      Leucemias crônicas (aumento de células maduras no sangue):
      – Leucemia mieloide crônica – LMC
      – Leucemia linfoide crônica – LLC

      São cânceres dos leucócitos, os glóbulos brancos que estão nos gânglios linfáticos e na corrente sanguínea. As leucemias caracterizam-se, portanto, por uma proliferação anormal e desordenada de glóbulos brancos que provoca grandes alterações na contagem das células do sangue.
      Para diagnóstico de leucemia linfoide aguda os médicos solicitam o Hemograma Completo e estudo do sangue periférico.

      O hemograma mede o número de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Estes exames avaliam os diferentes tipos de células do sangue, mudanças no seu número e sua aparência. Este exame é, muitas vezes, o primeiro a ser realizado em pacientes com suspeita de doença hematológica.

      A maioria dos pacientes com leucemia linfoide aguda apresentam glóbulos brancos imaturos no sangue, e uma quantidade insuficiente de células vermelhas ou plaquetas. Muitas das células brancas do sangue são linfoblastos, ou seja, linfócitos imaturos normalmente não encontrados na corrente sanguínea. Linfoblastos não funcionam como glóbulos brancos maduros.

      Todas as células do sangue – glóbulos brancos (células de defesa do organismo), glóbulos vermelhos (cuja função é transportar oxigênio para órgãos e tecidos) e plaquetas (células responsáveis pela coagulação) – são fabricadas dentro da medula óssea, no tutano do osso e nos gânglios linfáticos.

      Existem vários tipos de leucócitos, ou glóbulos brancos. São os linfócitos, neutrófilos, monócitos. Na leucemia, a produção totalmente desordenada dos leucócitos faz com que seu número aumente consideravelmente. Num hemograma, em vez de aparecerem de 5 mil a 10 mil glóbulos brancos, aparecem 90 mil, 100 mil. Isso altera a produção das outras séries, ou seja, das plaquetas e dos glóbulos vermelhos, acarretando uma queda expressiva no número de plaquetas. Outra manifestação importante da doença é a anemia, porque os níveis de hemoglobina diminuem.

      Desta formam uma das características da doença são grandes quantidades de leucócitos anômalos que perdem a função de defesa e reduzem o espaço para a produção de novas células sanguíneas.
      Embora estes resultados possam sugerir leucemia, a doença geralmente não é diagnosticada sem um estudo das células da medula óssea.

      Veja mais informações abaixo:

      Leucemias agudas
      • Curso rápido
      • Predomínio de células blásticas da série mieloide,
      linfoide e monocítica pela deficiência na maturação celular.
      • Medula hiperplásica com aumento do número de blastos
      • Manifestações clínicas:
      – Anemia normocítica e normocrômica;
      – Granulocitopenia com febre e infecção;
      – Plaquetopenia com púrpuras e hemorragias;
      – Esplenomegalia e linfadenopatia ;
      – Dores ósseas;
      – Leucostase.

      A falha na produção dos glóbulos vermelhos e plaquetas provoca manifestações clínicas que incluem anemia, fraqueza, palidez, cansaço, hemorragia, sangramentos no nariz e na gengiva, manchas vermelhas na pele e infecções. Esses sinais são próprios da leucemia aguda.

      Diagnóstico laboratorial geral (feito por médicos)
      • Hemograma
      – Anemia, neutropenia e trombocitopenia
      – Presença de mais de 20% de blastos dentre os
      leucócitos
      • Mielograma
      – Infiltração de blastos superior a 30% – FAB
      – Infiltração de blastos superior a 20% – OMS
      • Tipo citológico
      – Identificação através de coloração citoquímica para diferenciação de mieloblastos e linfoblastos.

      Doença primariamente da infância.
      • Pico de incidência entre 3 a 7 anos.
      • Caracterizada por crescimento de tecido linfoide, infiltração no SNC e testículos.
      • Podem ser geradas por translocações entre o cromossomo 8 e 14, por infecções virais (HTLV-1) e alterações como Anemia de Fanconi, Síndrome de Down e Bloom.

      Leucemias Crônicas
      • Proliferação de células maduras.
      • Série linfoide ou mieloide.
      • Rara antes dos 40 anos.
      • Mais comum no sexo masculino.
      • Sinais comuns:
      – Esplenomegalia na mieloide
      – Adenopatia na linfóide (cervical , suclavicular e axilar)
      – Anemia em ambas.
      – Desenvolvimento de quadros infecciosos por agentes oportunistas.

      • Pode ser assintomática
      • Evolução lenta
      • Raras formas blásticas
      • Células mais resistentes a morte celular

      Diagnóstico (feito por médicos)
      • Hemograma:
      – Leucócitos aumentados: 30 a 200.000/mm3
      – Raros pró-linfóctos ou linfoblastos
      – Anemia
      – Trombocitopenia e granulocitopenia
      • Mielograma:
      – Infiltração medular de linfócitos – 40% das células
      – Pode apresentar edema intersticial, necrose e hemorragias
      Dosagem de imunoglobulinas
      Marcadores imunológicos (diferenciação de T e B)

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta