Você não pode visualizar esta videoaula porque ainda não está logado.

0 comentários em “CO1001 – Glicemia no Esporte, Colesterol Total e Frações

  1. EU APRENDI EM UM CURSO QUE O HDL ACIMA DE 80 NÃO É FUNCIONAL? QUAL SUA OPNIÃO SOBRE ISSO?

    • Olá,

      Pelo que li os pesquisadores colocam que mulheres que possuem Diabetes Tipo I podem ter o HDL aumentado e essa condição poderia não ser favorável em mulheres com HDL acima de 80 mg / dL.

      A explicação dada foi que a incidência de doença cardíaca aumentou em ambos os homens e mulheres com diabetes tipo I que tinham níveis mais baixos de HDL – abaixo de 47,5 mg / dL. Para os homens, como os níveis de HDL aumentou, a sua incidência de doenças cardíacas diminuiu. O mesmo foi encontrado para as mulheres, exceto naqueles com níveis muito altos de HDL (acima de 80 mg / dL), cuja incidência de doença cardíaca aumentou substancialmente. Autores do estudo não foram capazes de estabelecer uma comparação significativa para participantes do sexo masculino uma vez que apenas alguns tinham HDL acima de 80 mg / dL. Apesar de altos níveis de HDL são tipicamente associados com diminuição do risco de doença cardiovascular, este pode não ser o caso de mulheres que têm diabetes tipo 1 e HDL nas faixas superiores. Entratnto, foi relatado que há necessidade de mais informações para se ter uma conclusão.

      Veja:
      Conclusão
      O aumento do risco de DAC em mulheres para um HDL-C> 80 mg / dL no diabetes tipo 1 merece um estudo mais aprofundado.

      Link do estudo:
      https://www.lipidjournal.com/article/S1933-2874(11)00618-0/pdf

      Partículas HDL
      É importante entender que as medidas do colesterol HDL fornecem apenas informações sobre a quantidade de colesterol transportada pelas partículas de HDL. As partículas de HDL diferem em tamanho e função, e existem muitos tipos, pequenos e grandes.

      Estudos recentes mostraram que medidas simples do colesterol HDL nem sempre refletem a função do HDL. Assim, há evidências crescentes de que a função HDL às vezes pode ser prejudicada, embora as medidas do colesterol HDL sejam normais. Portanto, medir o colesterol HDL pode não ser o melhor método para avaliar a função do HDL.

      Embora incompleto, o colesterol HDL ainda é a medida mais usada para avaliar o HDL. Outras métricas que estão sendo testadas atualmente incluem o número de partículas de HDL, o tamanho médio de HDL, subclasses de HDL específicas e propriedades funcionais de HDL.

      Colesterol HDL e Doença Cardíaca
      Uma relação inversa existe entre o colesterol HDL e o desenvolvimento de doença arterial coronária. Em outras palavras, altos níveis estão associados a baixo risco de doença cardíaca, e níveis baixos estão ligados a alto risco.

      Com base nos dados do Framingham Heart Study, o risco de ataque cardíaco aumenta cerca de 25 por cento para cada decréscimo de 5 mg / dl (0,13 mmol / l) nos níveis sanguíneos de colesterol HDL. No entanto, se o colesterol HDL é um fator de risco causal ou apenas um marcador de risco ainda é intensamente debatido.

      A hipótese mais aceita sobre as propriedades protetoras da HDL quando se trata de aterosclerose é que ela promove a captação de colesterol dos tecidos, incluindo a parede vascular, e devolve o colesterol ao fígado de onde é excretado. Este processo é muitas vezes denominado “transporte reverso de colesterol”.

      Também foi postulado que as HDLs podem promover a função normal do endotélio, a camada mais interna das artérias. Além disso, as HDL podem reduzir a inflamação, proteger contra a oxidação da LDL e afetar positivamente a coagulação do sangue (trombose).
      Medir a apolipoproteína B ou o número de partículas de LDL (LDL-P) pode ajudar a estimar o risco entre indivíduos com altos níveis de colesterol LDL e HDL. O cálculo do colesterol não-HDL também pode ser útil para avaliar o risco nessas circunstâncias. Determinar a relação de triglicerides / colesterol HDL pode fornecer mais informações. A razão TG/HDL-C pode ser mais um indicador fácil e rápido de ser obtido para utilização na avaliação do risco cardiovascular em mulheres com doença arterial coronariana durante a elevação da PCR-as.

      Evidências laboratoriais e experimentais indicam que a aterosclerose não é devida apenas ao depósito excessivo de colesterol (hipótese lipídica), mas também decorrente de processo inflamatório crônico. Assim, pesquisas têm sido desenvolvidas para avaliar a hipótese de que marcadores inflamatórios (como a PCR-as) e índices gerados a partir de razões de parâmetros como CT, LDL-C, HDL-C, colesterol da lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL-C) e triglicérides (TG) possam ser utilizadas como marcadores associados de risco cardiovascular global.

      Em conclusão, o prognóstico em relação à doença cardiovascular não pode ser determinado via HDL-C; aumento do HDL-C através de fatores relacionados ao estilo de vida, como atividade física e cessação do tabagismo, está associado a efeitos protetores vasculares; O principal objetivo da terapia lipídica é atualmente a redução do colesterol LDL.

      As pesquisas com o HDL colesterol ainda estão sendo feitas e ainda flatam estudos conclusivos a respeito desta lipoproteína.

      Veja mais informações no artigo acessando o link abaixo:
      https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5565659/

      Att,
      Gabriela

Deixe uma resposta